Prós e Contras: Efraim Filho enfrenta gigantes na briga pelo Senado

Por Fonte83 - 30/11/2021

O deputado federal Efraim Filho quer seguir os rumos do pai, Efraim Morais, e trocar de cadeira no Parlamento, saindo da Câmara para o Senado. Mas, quais são as vantagens e desvantagens dessa escolha? A coluna Prós e Contras analisa esse cenário.

Pró
Apesar da juventude (42 anos), Efraim Filho já tem experiência acumulada de quatro mandatos de deputado federal, durante os quais deixou o anonimato do chamado baixo clero para se tornar um dos líderes mais influentes da Câmara. Atualmente, Efraim é líder do Democratas, liderança já havia assumido em outras ocasiões, posto que lhe rende projeção e visibilidade, condições para que qualquer político possa almejar disputas majoritárias.
 
Contra
Efraim Filho vai colocar à prova sua trajetória como deputado federal ao enfrentar a disputa pela única vaga para o Senado em 2022. Líder de um partido de direita, que vota em geral com o governo Jair Bolsonaro no Congresso, Efraim deve ser cobrado, entre outras coisas, pelos votos favoráveis, por exemplo, às reformas da previdência e trabalhista.
 
Pró
Efraim Filho é apontado por potenciais apoiadores como confiável e um político que cumpre acordos, uma virtude cada vez mais rara na política. Num ambiente político marcado pelas disputas, Efraim tem assumido um papel de articulador político, razão pela qual foi escolhido por unanimidade coordenador da bancada federal da Paraíba. Efraim tem se mostrado hábil para se inserir na disputa para o Senado. Conta com o importante apoio do atual senador Veneziano Vital do Rêgo e do presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino. Segundo revelou em entrevista recente, já conta com o apoio de 120 prefeitos.
 
Contra
Como João Azevedo já afastou a possibilidade de apoiar dois candidatos ao Senado, Efraim Filho vai ter de torcer pela desistência do concorrente direto Aguinaldo Ribeiro já que pretende apoiar a reeleição do governador. Ou pelo remanejamento do deputado federal do Progressistas para a vaga vice. E como dificilmente o governador abrirá mão de ter o apoio dos Ribeiro e, por consequência, do prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, dificilmente Efraim será mesmo candidato ao Senado caso Aguinaldo Ribeiro mantenha sua candidatura. Como na física, dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar na política.
 
Pró
Com a fusão DEM-PSL, Efraim Filho terá como suporte para suas pretensões eleitorais um partido com o maior tempo de TV e o maior fundo partidário, uma vantagem inquestionável. Isso significa que, além de uma ampla base política de apoio, Efraim Filho contará com uma fundamental estrutura material para levar à frente sua campanha e enraizá-la por todo estado.
 
Contra
Com mais antecedência, Efraim Filho vai tentar repetir o feito do pai, Efraim Morais, que em 2002, depois de três mandatos de deputado federal, conseguiu, numa dura campanha contra José Maranhão, Wilson Braga e Tarcísio Burity, a segunda vaga na eleição para o Senado. Em 2022, estará em disputa apenas uma vaga. A dúvida é se Efraim Filho terá estatura política para enfrentar a força dos adversários e chegar em primeiro.