Botafogo-PB e Sousa se destacam em uma das piores edições do Paraibano neste século

Por Fonte83 - 14/05/2021

Francisco Varela Neto

O cenário é triste. Há que se constatar que a pandemia também contribui com o enredo, mas este seja talvez o pior Campeonato Paraibano de futebol dos últimos 20 anos do ponto de vista de nível técnico. Basta observar que o Botafogo-PB – equipe que tem o maior orçamento da competição – tem dificuldades diante de equipes de porte inferior.

O nível baixo faz com que haja um maior equilíbrio entre as equipes, o que pode ser bom, não fosse o fato de o nível ser tão baixo. Nenhuma equipe apresentou um futebol vistoso, ou mesmo diferente. A preço de hoje, as equipes que devem ser classificar direto para as semifinais são Botafogo-PB e Sousa. O restante brigará pelas outras vagas do playoff e contra o rebaixamento.

Halan Azevedo

Concordo. O nível técnico do Paraibano deste ano é ruim, péssimo, horrível, sofrível, medonho. Jogos que dão sono até em quem tente tomar dez xícaras de café para acompanhar a maioria das partidas. Mas, é o que temos (infelizmente). Dentro das quatro linhas, aos trancos e barrancos, Botafogo-PB (líder) e Sousa se destacam. O dinossauro, inclusive, tem melhor campanha do que os dois grandes de Campina Grande, Campinense e Treze (esperava mais deles), e é a defesa menos vazada da competição. Sofreu apenas um gol em cinco jogos. Tem grandes chances de se classificar no G-2 e ir direto à semifinal.

Na outra parte de classificação, Campinense e Treze devem se classificar sem muita luta para os playoffs (fase que antecede a semifinal). O São Paulo Crystal também deve se classificar. A última vaga será do Nacional, Perilima ou Atlético, esse que é a grande decepção do estadual. Além disso, um dos três deve ser o rebaixado deste ano. Pela bola, até agora, cai o Trovão Azul.

Reforços

O Botafogo-PB confirmou nesta sexta-feira (14) dois novos reforços. São os atacantes Rafael Barros e Luã Lúcio. Antes, o volante Amaral também havia sido contratado. Novas peças para um time em construção. Mas, falta o dez. Marcos Aurélio tem deixando a desejar (ainda cabe como jogador de elenco, decisivo não mais) e se o time for montado em volta de um ‘camisa dez clássico’ é melhor a diretoria procurar outro nome para titular.